PALAVRAS QUE CURAM

"ENVIOU A SUA PALAVRA E O CUROU"

CULPA E PERDÃO

"Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos." Tiago 2:10
A culpa relaciona-se com o pecado da mesma forma como as cinzas relacionam-se com o fogo. O pecado é uma atitude de rebeldia, e a culpa é sua lembrança permamente. Não há culpa sem pecado como não há mau cheiro sem causa. O fedor na mata sempre denuncia a existência de uma carniça. Não é possível se falar em culpa sem o relacionamento com um pecado atuante. O sentimento de culpa está sempre ligado à realidade do pecado.
Nunca pense que você encontrará mel no pote, se Deus escrever "veneno" no rótulo. A única coisa assustadora neste mundo é o pecado. Não é possível praticar o pecado e não sofrer as suas consequências. Não é possível tocar no pecado e não ficar contaminado com a culpa. No Velho Testamento há um quadro que explica este pensamento.
Quando alguém tocasse em um homem imundo, ficaria contaminado. Se alguém, sem se aperceber tocar a imundícia de um homem, seja qual for a imundícia com que este se tornar imundo, quando o souber será culpado. Levítico 5:3.
O homem sempre se contamina quando comete pecado. O pecado é uma coisa odiosa. É a baba ou o vômito de Satanás. Ninguém sendo tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele a ninguém tenta. Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte. Tiago 1:13-15.
O pecado deixa um sentimento cruel de culpa que mina a consciência de modo sutil. Não é possível praticar o pecado sem sofrer as consequências da culpa corroendo as resistências morais. Por mais calejada que a mente se encontre, sempre haverá uma ponta de acusação consumindo as energias espirituais e aluindo as bases psicológicas.
Ó meu Deus! Estou confuso e envergonhado, para levantar o meu rosto a ti, meu Deus; porque as nossas iniquidades se multiplicaram sobre a nossa cabeça, e a nossa culpa tem crescido até aos céus. Esdras 9:6. A culpa não deixa a consciência, enquanto o pecado não for tratado de modo correto.
O pecado não pode ser ocultado. Todo aquele que tenta abafar o seu pecado acaba sofrendo terrivelmente. Enquanto me calei, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido o dia todo. Salmos 32:3. Sufocar o pecado é torná-lo um vulcão.
Pecado refreado é angústia na certa. Quando se subjuga a realidade do pecado, a fetidez da culpa assume outras formas e acaba revelando a pecaminosidade estrangulada.
Não há outra alternativa. O pecado tem que ser confessado, para que seja perdoado. O único remédio para o pecado é o perdão. O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia. Provérbios 28:13. A Bíblia não está tratando aqui de sucesso econômico, mas de uma alma próspera. O pecado atrofia os relacionamentos e distorce os sentimentos. O coração sob o regime da culpa sempre vive desconfiado, criticando, acusando. É o sentimento de culpa que nos faz ter vergonha de Deus e desconfiança das pessoas. A culpa é responsável por uma ampla quantidade de sintomas. Muitas doenças que chegam sobre as pessoas, têm suas bases nos sentimentos de culpa. A mente culpada acaba se tornando refém de apavorantes prenúncios ruinosos que se transfomam em sintomas de enfermidades e acabam virando doenças incuráveis. A fatídica operação da culpa assume um papel de cobrança que abala o sistema nervoso e leva as pessoas ao caos interior. O Senhor é tardio em irar-se, mas grande em poder, e ao culpado não tem por inocente; o Senhor tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés. Naum 1:3. Não adianta tentar fugir da culpa com os expedientes mais ricos e abrangentes.
O único remédio para a culpa é o sangue. Na farmácia de Deus só o sangue pode minorar os efeitos dolorosos do pecado e da culpa. E quase todas as coisas segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão de pecados. Hebreus 9:22. Sem perdão de pecado não há libertação da culpa. Será, pois, que, culpado sendo, numa dessas coisas, confessará aquilo que pecou. E a sua expiação trará ao Senhor, pelo pecado que cometeu; uma fêmea de gado miúdo, uma cordeira, ou uma cabrinha pelo pecado; assim o sacerdote por ela fará expiação do pecado. Levítico 5:5-6. Este procedimento apresentado no Velho Testamento é um tipo do sacrifício universal que Jesus Cristo veio realizar em benefício de todos os pecadores. Assim, pecado perdoado, culpa apagada. Uma vez tratado o pecado pela obra consumada de Cristo crucificado, temos a garantia de sua anulação. Pecado perdoado significa culpa sem efeito. Ninguém pode viver debaixo de um forte sentimento de culpa, quando a sua causa já foi anulada. Só há complexo de culpa, quando há culpa real. Só há sentimento de culpa quando o pecado ainda não foi perdoado. Jesus Cristo veio a este mundo como o Cordeiro de Deus, a fim de tirar o pecado do mundo. Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós, para que nele fôssemos feitos justiça de Deus 2Coríntios 5:21. Em Cristo, Deus nos incluiu para nos justificar, e deste modo, nos perdoar de todo pecado. Aquele que já foi perdoado por Cristo encontra-se agora justificado. Pois quem morreu justificado está do pecado. Romanos 6:7. Cristo se identificou conosco na humanidade a fim de nos atrair em seu corpo, e por este meio, nos fazer integrantes de sua morte e ressurreição. Ora, se já morremos com Cristo, temos recebido a sentença de morte para o pecado e consequentemente a
justificação pela fé. Se estamos justificados pelo sangue de Cristo, estamos perdoados de todos os nossos pecados. Se estamos perdoados dos nossos pecados, também estamos sem culpa.
Por meio da obra soberana de Cristo, Deus nos perdoa de todos os nossos pecados e nos isenta de toda culpa. Uma vez libertados da tirania do pecado pelo sacrifício eficiente de Jesus Cristo, somos também libertados das cobranças sufocantes de culpa. Uma conta paga não pode ser mais cobrada. Uma mente isentada das pressões do pecado não precisa viver mais sob as insinuações da culpa. Quando o fogo é apagado, logo a fumaça que tanto incomoda desaparece. Assim, desde que o pecado foi anulado, a culpa ficou sem efeito.
Glenio Fonseca Paranaguá

Nenhum comentário:

Postar um comentário