PALAVRAS QUE CURAM

"ENVIOU A SUA PALAVRA E O CUROU"

A VONTADE DE DEUS - Glênio Fonseca Paranaguá

“Venha o teu reino, faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu” Mateus 6:10

“Minha vontade seja feita, e não a tua”. – foi o que transformou o Paraíso em um deserto. “Tua vontade seja feita, e não a minha”. – foi o que fez do deserto um Paraíso e Getsêmane a porta do Céu. – E. Presencê. No jardim do Éden o homem cruzou com a vontade de Deus e preferiu ficar com a sua vontade caindo no pecado.


No jardim de oração, Jesus optou pela vontade de Deus, a fim de libertar o homem do pecado. “Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai : Se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e, sim como tu queres”. Mateus 26:39. Só a vontade de Deus é capaz de nos desobrigar de nossa vontade caída. O homem por sua própria vontade está alienado de Deus e incapacitado de desejá-lo. Mas pela graça soberana de Deus, que é uma manifestação rica de sua vontade plena, pode os homens livremente anelar a pessoa de Deus. “O centro da conversão é a conversão da vontade. Observe o filho pródigo dizer: Levantar-me-ei... irei... direi... pequei... tudo se centraliza na vontade”. Foi neste contexto que J. Escrivá de Balaquer disse: “Se tu queres, Senhor?...eu também quero!” Só o poder da vontade de Deus é possível mudar a vontade do homem, de modo livre e deliberado. Andrew Murray colocou apropriadamente este ponto quando abordou o significado do ministério de Jesus:” A obra de Cristo consistiu em trazer o homem (livremente) de volta àquela vontade de Deus que é o único lugar onde a criatura pode encontrar vida e bem-aventurança”. “Pois. Segundo o seu querer, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fossemos primícias das suas criaturas”. Tiago 1:18. É a vontade de Deus a condição imprescindível para a salvação do homem. Sem esta operação soberana de Deus nenhum homem pode ser salvo. “Veio para o que era seu, mas os seus não o receberam, mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: a saber, os que crêem no seu nome, os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”! João 1:11 a 13. A vontade de Deus é a condição “sine-quanon” para a regeneração de quem quer que seja. E a própria Palavra de Deus demonstra as qualidades essenciais desta vontade. “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” Romanos 12:2. Sabendo que a vontade de Deus é boa , agradável e perfeita, conhecendo o propósito eterno de sua vontade expressa totalmente na pessoa de Cristo, cabe ao homem receber como reação livre, os efeitos eternos da graça de Deus em sua vida. Deus não obriga pela força violando a decisão, mas constrange pelo amor apresentado na persuasão. “Portanto, conhecendo o temor do Senhor, procuremos persuadir os homens “. II Coríntios 5:11a. Na pregação do amor de Cristo revelada no seu sacrifício temos a garantia da ação persuasória. “Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos, logo todos morreram. ...Ora tudo provém de Deus que nos reconciliou consigo mesmo, por meio de Cristo, e nos deu o ministério de reconciliação, a saber que Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação” II Coríntios 5:14, 18 e 20.
Mme. Guyon afirmava: “Há pessoas que querem dirigir a Deus, ao invés de resignarem-se com a direção divina. Insistem, em indicar ao Todo Poderoso o caminho a seguir, sem se deixarem conduzir por Ele”. A obra da salvação é uma iniciativa da vontade de Deus, que pela sua natureza convence, pela pregação, a decisão humana. “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo, do pecado, porque não crêem em mim”. João 16.8 e 9. “Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação”. I Coríntios 1:21. A persuasão do amor está dentro da vontade de Deus. Quem ama convence amando. Não há maior força do que a força do amor, que vence convencendo, e ao vencer convence que só o amor convence e vence. A vontade de Deus não é imposta ao homem. E todos os benefícios provenientes desta vontade são dons divinos. Mas a Bíblia afirma: “O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura”. I Corintíos 2:14. O homem natural não recebe nada da verdade de Deus porque esta é loucura para ele. Homem nenhum arrisca a vida por uma loucura absurda. É preciso que um poder o faça ver a Palavra de Deus segundo ela é, a verdade de Deus, ou haverá de perecer eternamente. “Se, pois, o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. ...E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará “. João 8:36 e 32.]
A vontade soberana de Deus exerce tal poder vivificador sobre o coração humano, que este se manifesta aceitando a graça de Deus, como sua única fonte de libertação. A vontade de Deus transforma a vontade do homem , por meio da ação onipotente do Espírito Santo na pregação da Palavra, e esta vontade livremente decide receber os beneficios da graça de Deus. Toda a operação da salvação do homem se encontra na real expressão da vontade de Deus que se manifesta na pregação do evangelho que é o instrumento capaz de salvar todo aquele que nele crer. “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro o judeu e também o grego”. Romanos 1:16. “Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque: Todos aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo. Como, porém, invocarão aqueles em que não creram? Como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam coisas boas”. Romanos 1:16 e 10:12 a 15.
Aqui está o programa da vontade de Deus. Resignar-se a vontade de Deus; conformar-se com a vontade Deus; amar a vontade de Deus.
“A vontade de Deus será cumprida em ti, embora não as faças tu”. Santo Agostinho.

Glênio F. Paraanguá

Nenhum comentário:

Postar um comentário