PALAVRAS QUE CURAM

"ENVIOU A SUA PALAVRA E O CUROU"

O ACORDO DAS VONTADES - Glênio Fonseca Paranaguá

“Vós, servos, obedecei a vossos senhores humanos, com temor e tremor, na sinceridade do vosso coração, como a Cristo, não servindo somente à vista, como para agradar os homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus, servindo de boa vontade como ao Senhor, e não aos homens”. Efésios 6:5-7
A vontade é a base segura de uma personalidade. Sem vontade o ser humano seria mero animal. A única coisa que pertence ao homem como uma pessoa individual, é a sua vontade. Tudo o mais é fruto de herança genética ou de um processo educacional.
Cada um é o que é a sua vontade.
Deus criou o homem livre para escolher. Só um ser livre em sua plena vontade pode escolher com liberdade. Se não existir vontade livre não haverá a menor responsabilidade moral. Os robôs e as máquinas não comparecem aos tribunais. O mandamento Divino foi apresentado a um ser responsável. Ordenou o Senhor Deus ao homem dizendo: De toda a árvore do jardim podes comer livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás, porque no dia que dela comeres, certamente morrerás. Gn 2:16-17. William Secker disse: Deus olha mais para as nossas vontades do que para nossas obras. Foi a vontade de Adão que decidiu comer do fruto. A vontade é o fator decisivo em tudo o que fazemos. Em todas as esferas da vida, ela estabelece alternativas.
O homem foi criado livre e em perfeita condição de escolher com a total liberdade, mas depois do pecado a sua vontade ficou comprometida de tal modo que, o pecador, em sua natureza pecaminosa, nunca pode ter uma vontade que concorde com Deus.
Ele sempre está em conflito com a vontade de Deus. Querer é humano; querer o que é mau é próprio da natureza decaída, mas querer o que é bom é próprio da graça de Deus, ensinava João Calvino.
A vontade do homem no seu pecado conflita com a vontade perfeita de um Deus santo. E o centro da conversão é a conversão da vontade humana ao centro da vontade de Deus. Quando a vontade é conquistada o homem é vencido. A obra da salvação visa alcançar vitória na área da vontade. Então disse Jesus a todos: Se alguém quer vir após mim, negue a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quer perder a sua vida por amor de mim, esse a salvará. Lc 9:23-24.
O homem é salvo quando a sua a vontade se submete à vontade de Deus.
Mas é exatamente aqui neste ponto que enfrentamos a grande dificuldade no entendimento. Como é que a minha vontade rebelde pode voluntariamente se sujeitar à vontade de Deus? Ora, se o ser humano pecador encontra-se obstinado e insurreto contra a vontade de Deus, como pode se conformar com a vontade de modo absolutamente volitivo.
Somente um Deus poderoso, pode persuadir a vontade humana rebelde, sem demolição desta mesma vontade. O Espírito Santo consegue com seu poder convencer o pecador revoltado e insubmisso, sem anular a decisão moral e volitiva desta mesma pessoa. A vontade humana é conquistada pela graça de Deus entrega-se totalmente ao domínio da justa vontade de Deus, natural e livremente. Uma perfeita conformidade com a vontade de Deus, completamente voluntária, é a única liberdade soberana e completa. A vontade de Deus triunfa sobre a nossa vontade sem coação escravizante.
O pecador só se torna livre de fato, quando a sua vontade é conquistada voluntariamente pela vontade de Deus. A vontade de Deus é a medida das coisas, ensinava Ambrósio. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; a tua lei está dentro do meu coração. Sl 40:8. Quando o prazer assume o controle do dever é porque a vontade humana encontra-se total e profundamente integrada nesta atividade. Quando me agrado em fazer a vontade de Deus é porque a minha vontade ficou bem identificada com a vontade de Deus de modo totalmente voluntário. Sempre estou contente com o que acontece, pois toda a minha vontade é fazer a vontade de Deus de todo o meu coração, pois sei que o que Deus escolher, será sempre o melhor para mim. Só a plena conformidade de nossa vontade com a vontade de Deus pode nos garantir o perfeito contentamento e a mais pura felicidade. A satisfação com a vontade de Deus é o melhor remédio que podemos usar e aplicar aos infortúnios.
Para o nosso Senhor Jesus Cristo o verdadeiro discípulo não é aquele que o chama de Senhor, mas todo aquele que está comprometido com a vontade de seu Pai celestial. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Mt 7:21. A vontade de Deus não é apenas algo que nós devemos entender, é algo que devemos empreender. O servo de Cristo não é alguém que apenas sabe qual é a vontade Deus, contudo não a pratica diligente e deliciosamente. Ser servo de Jesus Cristo contrariado e mal humorado é algo que contraria o seu modelo de serviço. Fazendo de coração a vontade de Deus. Servi de boa vontade como ao Senhor, e não aos homens. A vontade de Deus não é um itinerário, mas sim uma postura. O que vale de verdade na experiência dos salvos é sua identificação com a vontade de Deus, dentro de uma harmoniosa sintonia com a nossa própria vontade. Fazer a vontade de Deus com um coração disposto e regozijante.
A obra de Cristo consiste em trazer o homem de volta àquela vontade de Deus que é o único lugar onde a criatura pode encontrar vida e bem-aventurança. A. Murray
Fora da vontade de Deus, não há tal coisa como sucesso; nos termos da vontade de Deus, não há tal coisa como sucesso; nos termos da vontade de Deus, não há tal coisa como fracasso. Abe Martins
Esta é a confiança que temos nele, que se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E se sabemos que nos ouve em tudo o que lhe pedimos, sabemos que já alcançamos os pedidos que lhe fizemos. I Jô 5:14-15
Estar dentro da vontade de Deus é a receita vitoriosa da vida de oração. Nada está além do poder do homem, se estiver no âmbito da vontade santa de Deus. A oração não altera o plano de Deus, nem muda a sua trajetória, mas transforma a atitude de quem ora , pois o ajusta harmoniosamente com a vontade de Deus. Não oramos a fim de informar a Deus, como se ele ignorasse os nossos objetivos. Antes, oramos para nos dispor dentro da sua vontade. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.
Algumas pessoas, entretanto, resignam-se com a vontade de Deus. Não há outro jeito! Porém, vivem ressentidas. Outros chegam a conformar-se com esta vontade e ganham uma certa evolução. Mas os filhos de Deus vão mais além: eles amam a vontade de Deus de coração e com grande regozijo a buscam em sua própria experiência, como prioritária. Foi nesta ênfase que Jesus disse: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e completar a sua obra. Jô 4:34. O amor é decisivo na sua preferência. Quem ama de fato ao Pai tem profundo respeito e consideração pela sua vontade. Jesus ensinou-nos a sermos obcecados por viver de acordo com a vontade de Deus. Eu não posso de mim mesmo fazer c. Pnaguáaraoisa alguma; como ouço, assim julgo; e o meu juízo é justo, pois não procuro a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. Jô 5:30. Quem ama a Deus quer fazer com todo amor tudo aquilo que se encaixa com esta boa, agradável e perfeita vontade de Deus.
O arcebispo do século XVII, François Fenelon expressou assim: Ó Pai, ensina-me a orar; ora Tu mesmo por mim. E acrescentou para nós: Faça desta regra simples o guia de sua vida: Não ter vontades, a não ser a vontade de Deus.
Deste modo, oremos: Ó Pai santo, nós rendemos a nossa vontade livremente a Ti, por isso que, a Tua plena vontade conquistou maravilhosamente a nossa vontade, voluntariamente, e de todo o coração, nós nos alegramos em poder receber a Tua vontade, como a nossa única vontade. Em nome de Jesus.
Glênio Fonseca Paranaguá

Nenhum comentário:

Postar um comentário